quinta-feira, 1 de julho de 2010

Exposição do Marilyn Manson tem como tema sofrimento e dor nas suas telas.


Seres artomentados , derfomados muita dor e sofrimento são ingredientes da exposição do cantor , pintor Marilyn Manson que inaugurou suas obras de arte de artes plásticas no museu de Viena.
21 quadros formam a exposição do cantor que intilula "Genealogia da dor"
Manson conhecido como Anti-Cristo, polêmico causa frison por onde passa, suas obras talvez seja um alto retrato , se parece muito com o próprio , suas pinturas tem feridas em partes sensíveis   o que choca mais e mais os visitantes da exposição.
Os traços das obras do Pintor e a decadência humana , as cores soturnas, o ar de infelicidade, expressão de dor, tormento , o ódio, fúria são notados intensamente nas obras.
O ar gótico , tem uma beleza a ser revelada , mais a de Maison a beleza se transforma em caos , e não a sobra de dúvida que essa seja a verdadeira intenção do pintor.
Como um "bicho papão" o temível "senhor das trevas , se auto retrata em quadros , com cores desfocadas e sensação de cegueira , de aniquilador de almas.
Corpos deformados , anomalias , o caótico e revelado diante dos olhos dos visitantes da galeria.
Em sua entrevista, Manson reivindicou a dimensão provocadora da arte. "A arte que não causa mal-estar e reflexão não é arte. O artista que não se identifica com sua arte não é um artista", afirmou.
O mal talvez mais plausivo que imaginamos , o que e´gerado em torno da obra é inquietude, o mal estar e o desprazer.

2 comentários:

Anônimo disse...

bizarro

Anônimo disse...

muito louco

meus videos favoritos

Loading...